sábado, 27 de fevereiro de 2010

Serviço de Utilidade Pública: Herpes Gestacional


Abdomen pós-parto: dia 1

SIM, eu fui uma em 50.000, agraciada com uma Herpes Gestacional, e de modo mais raro ainda, durante o puepério...!
Decidi começar a contar minha "nova descoberta do Heitor" narrando o nosso primeiro desafio pós-hospital. Dias antes do parto, surgiram pequenas estrias na base da barriga. Como coçava muito na região, simplesmente atribuí a elas a coceira e hidratei bastante. Depois do parto, a região começou a criar essa crosta. Essa foto e a que segue foram tiradas no primeiro dia em que desconfiei que as marcas no abdomen e aquelas pequenas pintas nos braços e nas costas podiam estar relacionadas:



Costas: dia 1.


No dia seguinte, a situação era essa:


Braços, dia 2.

Liguei imediatamente para o meu pai, dermatologista. Como tenho recorrentes "brotoejas" em razão do calor excessivo, tomei por minha conta o anti-histamínico desde o dia 2 (erradíssimo, eu sei!!), mas nada acontecia. Ao ligar, ele me pediu que tirasse as fotos. Em dois dias ele viria para a capital, ver pessoalmente.

Não cheguei a mandar essas fotos, mas em dois dias ele viu "in loco" o quadro, duas vezes pior do que a foto que segue:


Braços, dia 3.

Ele me encaminhou a uma colega, e ela referendou o que ele imaginava. A doença chama Herpes Gestacional, assim descrita no Manual Merck:

"HERPES GESTACIONAL
O herpes gestacional é uma erupção intensamente pruriginosa com vesículas cheias de líquido que ocorre durante a gravidez. O termo herpes é enganoso, pois a erupção não é causada pelo herpesvírus ou por qualquer outro vírus.
Acredita-se que o herpes gestacional seja causado por anticorpos anormais que reagem contra os próprios tecidos do organismo (reação auto-imune). Essa erupção incomum pode ocorrer em qualquer momento após a 12a semana de gestação ou imediatamente após o parto.
A erupção pruriginosa geralmente é acompanhada por vesículas e bolhas irregulares cheias de líquido. Freqüentemente, o herpes gestacional começa no abdômen e, a seguir, dissemina-se. Algumas vezes, a erupção abrange uma área em forma de anel, com vesículas e bolhas em torno da borda externa. Geralmente, ela piora logo após o parto e desaparece em semanas ou meses. Ela freqüentemente reaparece nas gestações subseqüentes ou com o uso de contraceptivos orais.
O concepto pode nascer com uma erupção semelhante, a qual geralmente desaparece espontaneamente em algumas semanas. Para confirmar o diagnóstico, o médico remove um pequeno fragmento da pele afetada e envia o material ao laboratório para a detecção da presença de anticorpos.
O tratamento visa aliviar o prurido intenso e evitar a formação de novas bolhas. Para a erupção leve, a aplicação freqüente de um creme contendo corticosteróides diretamente sobre a pele geralmente ajuda. Para as erupções mais disseminadas, são prescritos corticosteróides orais. Parece que o uso de corticosteróides no final da gestação é prejudicial ao feto. Quando o prurido piora ou a erupção dissemina-se após o parto, uma dose mais elevada de corticosteróide pode ser necessária".


Outro site: "Herpes Gestacional, também chamado de Penfigóide Gestacional é uma dermatose auto-imune, rara (1/50.000 - parturientes), polimorfa, intensamente pruriginosa, associada à gravidez ao pós-parto imediato e ao cariocarcinoma".

Uma em cinquenta mil...! Aparentemente tive sorte, pois em mim ela foi diagnosticada e tratada muito rápido: só imagino o que costumam sofrer as outras mães, pois as semanas em que "curtia" minhas bolhas foram as mais terríveis imagináveis...

Daí a minha vontade de escrever ALGO sobre essa experiência, antes de falar sobre qualquer alegria ou tristeza de ser mãe... Até ser informada pelo meu pai, nunca tinha ouvido falar em Herpes Gestacional. Quando os caroços surgiram, consultei toda a VASTA literatura de gestante, tantos e tantos livros que comprei e li, e NENHUM deles se referia a ela. Um deles, inclusive, falava em Alergia à Ocitocina, que foi o que achei que tinha...

Por semanas a minha pele ardia. Por semanas, as bolhas coçavam por todo corpo... Por semanas, não consegui segurar meu filho nos braços sem chorar de dor...! Saí com ele para o Ortopediatra e o sol castigava as feridas, e eu chorava escondido, até não aguentar mais. Amamentar era um suplício, e aguentar deixá-lo se aninhar feliz, mamando, nos braços ardidos, enquanto meu instinto de sobrevivência me mandava atirar ele longe, foi uma prova de fogo.

No início do tratamento com corticóides, eu dormia praticamente sem roupa, no ar condicionado, com os braços abertos e choramingando. Olhava compulsivamente para as feridas, esperando que elas secassem. Bombeava o leite de 3 em 3 horas, e jogava todo ele fora, com muita, muita tristeza. Se o puepério já é difícil, imaginem assim...

Enfim, as feridas secam, todas elas. Daí em diante, nenhuma feridinha no seio me faria deixar de amamentar, depois de tudo que eu e o Heitor passamos para que ele usufruisse daquele leite. Foi duro. Heitor e mãe aprenderam cedo demais o que significa amar, de verdade. O amor só surge realmente quando compartilhamos simultaneamente dores e delícias... As marcas de nossas brigas (as dele, na UTI, comigo ao lado e as minhas, ferida, com ele nos braços) mensuram a dimensão do laço que nos une.
Comentários
16 Comentários

16 comentários:

  1. Amiga, que horror vc deve ter passado. Esse post foi utilidade pública total.

    ResponderExcluir
  2. Foi um horror mesmo... Mas passa e vale a pena. Tanto que na segunda gravidez costuma voltar e ser pior, e eu estou disposta a encarar...!
    Infelizmente se fala pouco sobre isso e felizmente, há um motivo, pois é bem raro...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. estou sofrendo do mesmo mal. e gostaria muito de conversar com alguem sobre essa doença.
    um beijo!
    adriana afonso de barros. RIO DE JANEIRO

    ResponderExcluir
  4. Às ordens, é só escrever pro meu email, ou deixar o seu. É muito difícil, mas passa logo. Abraços!

    ResponderExcluir
  5. ola .

    Lena e Adriana ... meu nome e William .. MInha esposa esta sofrendo disso . Poderia me contactar pelo E-mail . williampbs@hotmail.com .. Precisaos converssar com alguem ate agora so encontrei uma pessoa em sao paulo que tevea mesma coisa .
    Abracos

    ResponderExcluir
  6. Eunice de Campos Leal27 de janeiro de 2011 14:03

    Oi,também tive herpes gestacional!foi na última semana de gravidez,quase morri de tanto me coçar e o pior é que os médicos daqui de Campo Mourão não souberam dar o diagnóstico naquele momento.Sofri muito,não desejo isso a ninguem.
    Tomei muito corticóide e outros antialérgicos,depois de umas 5 semanas eu estava bem...odeio coceira!kkkk

    ResponderExcluir
  7. olá meu nome é kelly e estou com 38 semanas e apresentei esses mesmos sintomas gostaria de saber se depois que a minha nene nascer eu não poderei amamentar? se vc puder me responder eu agradeço o meu email é kelly@bol.com.br uma grande abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelly, respondi para o seu e-mail, mas ele voltou! Espero que vc volte para ler a resposta.
      "Olá, Kelly! Como vc está?
      Olha, fica tranquila!
      Me orientaram a parar de amamentar por 4 dias, e tomei 2 dias de muito corticoide. Mas qdo minha obstetra voltou de viagem, disse que não tinha necessidade de ter parado de amamentar.
      A nova pediatra dos meus filhos me disse a mesma coisa.
      Pra te tranqüilizar, na segunda gestação, apesar de dizerem que é normal ter de novo, por ser auto-imune, não tive nada! Me preparei para isso e não aconteceu.
      A herpes gestacional desaparece com o tempo, mas o corticoide "acelera" o processo e alivia os sintomas, junto com o creme tópico. Seu médico lhe receitou algo? Seria bom vc ficar com um dermatologista simultâneo ao obstetra.
      Se te disserem pra vc parar a amamentação, o que eu não acredito, recomendo vc fazer como eu fiz: usei a mamadeira Nuk estreita, que o bico lembra uma chupeta; bombeei o leite de 3 em 3 hrs e joguei fora. Meu filho voltou pro peito (deu um trabalhinho, mas insistindo, vai) e eu ainda fiquei com mais leite do que antes...! Rs
      Incomoda tanto, né? A minha coceira só aliviava com Cutisanol Gel e qdo eu segurava o bebê a pele dele roçando irritava a minha pele. E ele acariciava meu braço e doía... Muito difícil.
      Espero que a sua passe antes! Vou ficar torcendo, dê notícias, e estou as ordens pro que precisar!
      Abraços!"

      Excluir
  8. muito obrigada por ter respondido,depois de ter deixado o comentário no seu blog fui até a casa da minha mãe e ela me orientou a usar a babosa, a minha barriga estáva toda vermelha e cheia de bolinhas depois que passei a babosa minha pele ficou clara e a coçeira parou,eu estava desesperada é uma coçeira infernal!! mas graças a Deus estou melhor!!!quero agradecer novamente por ter me respondido, minha cesaria está marcada para manhã e estou muito feliz com a chegada da minha princesa!!tudo de bom pra vc!!

    ResponderExcluir
  9. Olá Helena!
    Não resisti em escrever aqui a minha solidariedade perante a sua experiência.
    Também tive a mesma falta de sorte, recentemente com o meu filhote. Tive o Herpes a manifestar-se no meu corpo às 32 semanas de gestação, foi e ainda está a ser das experiências mais terríveis por que já passei.
    Queria ter tido uma linda e luminosa gestação, mas foi na verdade um inferno na terra.
    Agora o meu bebé vai fazer dois meses e ainda estou a lutar contra as bolhas e a comichão. Estou a fazer 70mg de corticóides e é muito dificil ver as marcas no nosso corpo...
    Decidi comentar, pois somos tão raras que desejamos e ansiamos por uma palavra amiga que nos compreenda.
    Obrigada por ter partilhado a sua experiência.
    Cumprimentos, Carolina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Carolina,
      Seu comentário me fez desejar deixar uma ATUALIZAÇÃO, exatamente pq somos poucas e pouca é a informação sobre o tema!
      Qdo escrevi essa postagem, eu e algumas pessoas que também tiveram a HG falamos sobre a possibilidade da segunda gestação, já que, por ser uma doença auto-imune, é provável que retorne na segunda gestação...
      Sinto prazer em contar que não desenvolvi a HG na gestação do Benício! Senti coceiras na barriga, algumas estrias, mas com bastante creme Luciara foi-se a coceira e as estrias. Nada de bolhas, nada de dor! Enfrentei a segunda gestação com medo, mas vigilante a qualquer sinal, e graças a Deus não aconteceu!
      Por isso digo que não desistam... Enfrentaria o dobro das bolhas que fiz da primeira vez só para ter meu gordinho sorridente comigo!
      Fique tranqüila, Carolina! As marcas somem, e tenho fé que desaparecerão também as marcas da sua mente! A felicidade compensa, não é? Abraços!

      Excluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Gostaria de saber se vc sabe alguma coisa a respeito da vacina contra herpes zoster se ela pode prevenir que se manifeste a HG novamente na 2° gestação pois tive no final da minha 1° gestação, foi horrível mas graças a Deus tomando os medicamentos não chegou a criar bolhas. Desde já agradeço, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? Olha, para te responder fiz uma consultinha telefônica a um dermatologista e aparentemente a vacina não age para prevenir Herpes Gestacional, são coisas diferentes... O que posso te dizer para te tranqüilizar é que na minha segunda gestação eu não tive herpes gestacional (falei mais disso em um comentário acima!)! Na verdade, como já sabemos que pode acontecer e ficamos alertas, qq sinal - um carocinho, coçeira etc - já me deixava alerta e eu ligava na hora para a dermato (tb fiz consulta no inicio da gestação, para deixá-la alerta e vigilante comigo!). Então, respira e tenha fé! Hoje olhando o Bê, não me arrependo um minuto de ter arriscado e enfrentado! :) Fique bem e qq coisa mais escreve aqui! O blog está parado mais ainda estou presente! Rs

      Excluir
    2. depois de 4 anos ..tudo esta bem ....nosso filho e minha esposa tambem ...ficou aquela vontade de ter outro filho ....por medo nao tentamos ..ainda vtemos um restinho de esperanca .... dizem que e de 50% de voltar ,,mas sei la ........vejo que a Lena foi corajosa e arriscou ..terminou tudo bem .... alguem ai pode comentar alguma coisa ?

      Excluir
    3. William, pensem em quantas coisas na vida correspondem ao percentual de 50% de risco: a chance de ser menino ou menina, por exemplo! 50% não é uma possibilidade alta de dar errado, mas uma enorme possibilidade de dar certo... O que posso e dizer é que, como já sabemos o que PODE vir, já estamos prontos para as consequências, já estaremos "a postos" para a cura, e tudo isso torna o sofrimento um pouco menor... Quando olho para o meu gordo lindo e esperto, não me arrependo um minuto de ter arriscado, e mais: enfrentaria todas as consequências da doença de novo! É uma avaliação que só o coração de vocês saberá fazer...! Abraços!

      Excluir